Boy’s Town: Multiplayer (NSFW / 18+)

Apenas uma coisinha que tenho guardada no meu baú. Uma história em quadrinhos escrita e desenhada por Onta. Parte de uma coletânea chamada Boy’s Town, um conjunto de quadrinhos sobre relacionamento homossexual entre animais antropomórficos. Em suma, cenas eróticas entre furries do sexo masculino. Recomendo abandonar imediatamente esta página se isto não for seu tipo de coisa.

Por quê estou postando isto? Simples, pelo mesmo motivo que traduzo jogos: experiência e prazer. Traduzo os jogos que gosto e pretendo traduzir os quadrinhos que gosto, só acontece que, às vezes, são deste tipo. Espero que isto não seja do incômodo de ninguém que gosta das minhas traduções de jogos, mas esta é uma parte minha que pretendo expandir.

Download (18+): Multiplayer

Atualização semanal #11 (e #10)

Fiquei sem escrever nada para a última atualização, e por pouco quase não escrevi para esta. Como os dois vídeos tem conteúdo bem semelhante, talvez não seja uma má ideia escrever apenas um post para os dois. Como mencionei na atualização, a tradução de Sunless Sea tem sido um tanto complexa. Não somente existe o desafio de traduzir as milhares de palavras das centenas de histórias dentro do jogo, mas existem mais dois problemas principais. O primeiro é a má formatação dos arquivos; os textos a serem traduzidos estão cercados por linhas e linhas de código inútil (para o tradutor, não para o jogo), o que significa que perco uma quantidade decente de tempo filtrando o que deve ser traduzido e o que deve ser ignorado. O segundo é a densidade da tradução.

A maioria dos jogos que traduzi no passado (e que continuo traduzindo, como foi o caso de Bye-Bye, Wacky Planet semana passada) são focados mais na jogabilidade do que na história, então grande parte do texto é mais descritivo do que narrado. No caso de SS é bem o contrário. Só a seção de nomes de lugares do meu glossário já atingiu 160 entradas, e continua aumentando. Dediquei, também, certas seções do meu glossário para parágrafos descrevendo os motivos da tradução de certos termos, como “mahr”, “homens descompletos” ou “blummicata”.

Gostaria também de comentar sobre como a tradução deve demorar. Tenho refletido sobre como melhor traduzir os nomes dos locais, assim como dos personagens, e, por enquanto, me encontro separando os nomes em três tipos: os que possuem um significado óbvio (“Frostfound”), os que são difíceis de pronunciar (“Hodgerton’s Bluff”), e os que são fáceis de pronunciar (“Lorkins Port”). Tento traduzir os dois primeiros tipos e deixo o terceiro intacto. Não tenho certeza se é a melhor das ideias, mas também não como mais proceder.

Quanto a outras traduções, não achei nada de novo e pequeno no que trabalhar em paralelo com Sunless Sea. Semana passada traduzi Bye-Bye, Wacky Planet e, se a oportunidade aparecer, irei traduzir outro jogo, mas não estou muito preocupado com isto, já que tenho sempre Oxygen Not Included para atualizar de tempos em tempos.

O que poderia ter sido

Há muito tempo atrás, eu decidi traduzir o guia de um jogo. Como uma tentativa de tentar ser contratado para traduzir o jogo, trabalhei em um guia que tinha sido escrito por fãs do mesmo, repleto de termos-chave, informações e dicas. Hoje joguei o jogo e vi um pouco da tradução que utilizaram. Eu então dei uma relida na minha antiga tradução. Até que fiquei satisfeito com a minha, o suficiente para ser digna de ser profissional. Ces’t la vie.

Guia não-oficial de Armello (versão alfa): Download

Atualização semanal #9

> Considere virar meu padrinho ou madrinha! <

Esta semana não traduzi um jogo (apesar de ter atualizado a tradução de um), mas ao invés disto traduzi um quadrinho. Como comento no vídeo, foram vários os motivos para eu ter deixado para trás (por uma segunda vez) a tradução de Gnomoria. Da última vez não comentei o porquê do meu abandono, então acabei me esquecendo, mas farei isto aqui. Depois de alguns testes, acabei descobrindo como fazer para o mod funcionar; por algum motivo, um arquivo bem específico estava impedindo o jogo de continuar rodando com a tradução ativa (mesmo com este arquivo não tendo sido adulterado), foi remover ele que tudo funcionou. Foi a remoção dele que também permitiu que eu visse, finalmente, o estado da tradução. Antes de abandoná-la, a maioria do que podia ser traduzida já o tinha sido, com alguns erros aqui e ali, o maior problema era o fato do que não tinha nem podia ser traduzido.

Para confirmar a situação, liguei o mod que traduzia o jogo para o alemão. Assim como era o caso com meu mod, grande parte do jogo permanecia em inglês. Não bastasse o jogo não ter suporte a acentos e não permitir que regras de gramática fossem editadas, mais da metade do jogo não podia ser traduzido: os menus antes de carregar um mundo, os tópicos de ajuda, toda e qualquer janela do jogo (descrição do reino, descrição dos gnomos, descrição do combate). Sim, algumas coisas estavam traduzidas, como o menu para construir oficinas, ou o menu para mandar seus gnomos fazerem alguma coisa, ou o nome de objetos. Mas tirando isto, nada mais.

Para não ficar sem fazer nada, e para não começar outro jogo e ter que parar no meio (já que gostaria de começar Sunless Sea semana que vem), peguei algo mais fácil para traduzir, algo diferente: um quadrinho chamado RuinWorld. No momento ele só possui 13 páginas publicadas (e o que eu realmente gostaria de traduzir provavelmente arrastaria meu projeto pela lama), mas espero que o autor continue publicando mais. Todas elas foram traduzidas, porém, como não recebi autorização do autor para publicá-las (ele não disse “não”, ele simplesmente me ignorou), resolvi deixar esta tradução como bônus para meus padrinhos e madrinhas, que podem baixá-la quando quiserem pelo link que deixei nos posts da campanha.

E falando em ignorado, meu pedido por uma chave de Sunless Sea e sua DLC foi, até o momento, uma tentativa fútil. Talvez os desenvolvedores estejam ocupados demais, talvez o pedido tenha ido parar na caixa de spam (apesar de eu ter recebido uma resposta automática do sistema de tickets dele). Qualquer que seja o motivo, eu provavelmente terei que comprar o jogo, algo que não gostaria de fazer pois sairia caro e nem tenho certeza ainda se é possível traduzir o jogo. Digo isto mesmo vendo que um grupo de russos já começou a tradução, pois é provável que seja necessário o uso de certas ferramentas para acessar os arquivos de texto do jogo, coisa que prefiro não fazer (simplesmente por não confiar em tais ferramentas). Bem, eu – e vocês – s[o ficarei sabendo se será possível traduzir Sunless Sea provavelmente na terça da próxima semana. Caso a resposta seja um grande e gordo não, provavelmente pegarei outro jogo que tenho no backlog para traduzir (ou quem sabe aquilo que gostaria tanto de traduzir?).

Atualização semanal #8

> Considere virar meu padrinho ou madrinha! <

Sim, eu agora vou passar a postar minhas atualizações semanais aqui também! Eu deveria ter feito isto desde o começo, mas eu sou uma pessoa muito burra mesmo.

Bem, no vídeo desta semana comento sobre algumas coisas importantes, como o fato de estar abandonando o site APOIA.se e me mudando para o Padrim. O motivo desta mudança é simplesmente por eu não ter gostado, nem um pouco, do design do site, principalmente das atualizações. O sistema de postagem não é lá grandes coisas (o do Padrim também poderia ser melhor, mais parecido com este do WordPress, sabe), e o resultado final era sempre algo feio. Além disto, não acho que era possível escrever comentários na página ou nas atualizações, o que significava que a única maneira de se comunicarem comigo era fora do site. É claro continuarei a responder todos os e-mails, comentários aqui e tuítes, mas quando o assunto é a campanha de apoio, preferiria deixar tudo concentrado em um só lugar (irônico, considerando que estarei postando as atualizações aqui).

Retornando à atualização, esta semana concluí a tradução de Road Not Taken. Uma tradução que havia iniciado há muito tempo, mas que nunca tive vontade de terminar. Pois bem, este é um dos motivos principais desta campanha que iniciei este ano, para me incentivar a fazer mais coisas, a parar de deixar tudo pelas metades, carcomido. Mesmo tendo pouco texto, este foi possivelmente o jogo com mais falas que já traduzi (Endless Legend possui bastante história, mas poucas falas). O que foi bom para me preparar para a tradução de Sunless Sea. Como comento no vídeo, não pretendo iniciar a tradução esta semana, só na semana que vem, pois tentarei entrar em contato com os desenvolvedores antes para ver se consigo uma cópia gratuita. Outro motiva pelo atraso é que me foi pedido, também, a tradução de Gnomoria, que eu cheguei a começar mas parei ainda no início, por não ter sido capaz de aplicar a tradução ao jogo. Vou tentar novamente esta semana. Se não conseguir, e ainda não tiver a cópia de Sunless Sea, eu talvez dê início à tradução de Puzzle Quest, ou talvez de Thea: The Awakening.