Mitologia do FaeVerso: O Rei Prismático

O Rei Prismático

Durante a grande era antes do último império mundano, um rei bondoso governava uma Avalon unificada. Enquanto Avalon permanecia em um estado de paz, uma invasão provinda de outros mundos começava a tomar conta. Fendas para os mundos elementais foram formadas, e seres elementais monstruosos começaram a aparecer por todas as regiões.

O bom rei convocou os mais habilidosos usuários de magia em sua corte, e procurou por uma solução para combater os incansáveis elementais. Entretanto, todas as tentativas fracassaram — uma arma capaz de derrotar apenas um elemental era de pouco uso contra tantos inimigos. Sob o conselho do único profeta vivo na época, o bom rei e seus conselheiros mais próximos trabalharam na concepção de uma arma que permitiria-os afastar os invasores elementais.

Com toda magia à sua disposição, o rei e seus conselheiros fundiram suas almas em uma única, assim sacrificaram seus receptáculos mortais e criaram o avatar do Rei Prismático, ligando-o à recentemente forjada Espada Prismática. O Rei Prismático liderou a vanguarda e forçou a recuada das forças invasoras. Os heróis de Avalon infiltraram-se nos mundos elementais, e cada um reivindicou raros artefatos de poder.

Com o fim da guerra, o Rei Prismático utilizou sua espada para selar as fendas o tanto quanto lhe foi possível. Porém, Avalon havia mudado para sempre, e muitos dos reinos foram permanentemente imbuídos com paisagens elementais nunca antes vistas.

Novamente sob o domínio da paz, o Rei Prismático permitiu que seus maiores campeões fundassem suas próprias casas, que iriam, daquele dia em diante, vigiar as terras de Avalon. O Rei Prismático ansiava por descanso, então ele cindiu sua Espada Prismática em múltiplas outras espadas de poder — uma para cada casa. Assim que as espadas foram espalhadas, o avatar do Rei Prismático esvaeceu, permitindo que as almas do bom rei e seus companheiros descansassem até o dia em que, como somente um ser, fossem necessários novamente.

O texto original em inglês é de autoria de Brian Kramer, da Subsoap.
Interessados na mitologia podem se inscrever no boletim: Subsoap Newsletter.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *