Mitologia do FaeVerso: A origem do FaeVerso

A origem do FaeVerso

Antes mesmo da canção ter sido cantada, existia somente uma neblina cinzenta. Ilimitada, vazia por toda sua extensão. Um mar denso e infinito, uma névoa esfumaçada e sem cor. Nenhuma luz, nenhuma sombra. Por um período incontável, esta quintessência, silenciosa e pesada, persistiu em cada canto e região.

Então, em um único momento, a completude de todos os seres, a vasta névoa miasmática veio de todas as direções e concentrou-se em um singular aspecto. Em um instante, uma luz branca e lancinante foi formada, e à sua volta uma escuridão absoluta instalou-se.

O ponto de luz começou então a emitir um gentil zumbido. Uma melodia que daria início ao Verso de todas as coisas. E, com delicadeza, o ponto de luz dividiu-se, formando assim outra luz, com sua própria cor, adicionando sua própria melodia à canção da existência. O primeiro ponto perguntou pelo nome do segundo: “Eu sou Fae,” ele tremeluziu calorosamente. Então, em honra à sua primeira criação, o primeiro decretou que esta existência deveria ser chamada de FaeVerso. Então, por vez e vez, o aspecto primário dividiu-se até que houvesse um excitante coro de luzes e cores dançando, assim, cada vez mais afastando a escuridão para longe. Mas, após tanto dar, o primeiro aspecto tornou-se cada vez mais fusco, e sua canção virou uma de saudade.

Para alegrar o primeiro aspecto, os outros criaram o que seriam conhecidos como os mundos do FaeVerso, e em cada um deles uma multitude de materiais e seres. Os aspectos começaram uma brincadeira para ver qual teria a melhor criação, e assim conceberam mais e mais mundos, proporcionando uma parte de si mesmos em suas criações.

O primeiro aspecto também desejava brincar, então, enquanto cantava, criou o que achou seria o melhor dos mundos do FaeVerso. Os Ath — o primeiro de todos os povos — receberam do primeiro aspecto parte de sua natureza, e poder.

Ao verem o que o primeiro aspecto tinha criado, os outros decidiram também criar seu próprio povo, e, por muito tempo, havia perfeita harmonia e paz no Verso. Os aspectos cantavam juntos, tecendo o destino, um fio por vez.

Porém os outros não notaram que, com a criação dos Ath, o primeiro aspecto havia virado pura escuridão, e sua saudade tornou-se em ânsia…

O texto original em inglês é de autoria de Brian Kramer, da Subsoap.
Interessados na mitologia podem se inscrever no boletim: Subsoap Newsletter.

Um pensamento sobre “Mitologia do FaeVerso: A origem do FaeVerso

  1. Eu tô muito apaixonado por tudo o que li do FaeVerso até agora! To simplesmente emocionado e muito inspirado. Você é espetacular! Por favor, traga mais textos assim pra cá.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *