A tradução está (quase) pronta!

É possível que ainda hajam erros, porém, após apenas 2 dias, terminamos a tradução do Blocks That Matter! Você pode ver a tradução nesse link daqui, apesar de que ainda falta atualizar para uma versão mais correta, o que o Ricci deve fazer em breve. Além disso, aqui está um link com o arquivo .xml que usamos para traduzir: Dropbox. Esse link contém a versão mais atual, além disso você pode dar uma olhada em todas as strings à vontade, caso esteja curioso para saber como está sem ter que experenciar o jogo todo.

Apesar da tradução ter sido, em geral, tranquila e breve, ainda encontramos algumas pedras no meio do caminho. A maior de todas sendo as strings <univ>. Essas strings contém termos que, à primeira vista, não precisam ser traduzidos. Algumas contém somente reticências, outras o nome próprio de pessoas que ajudaram na criação desse jogo. Porém, algumas poucas, contém termos em inglês que precisam ser traduzidas, se nada mais, para manter um padrão. O problema, como deve ter deduzido do nome, é que essas strings são “universais”, ou seja, elas são iguais em todos os idiomas, não importa qual você escolher, até mesmo no francês, língua original do jogo.

É claro que o povo que estava ajudando a traduzir ficou confuso quando falei que certas strings, que continham termos em português ou, no caso de algumas, o ampersand (“&”), pois isso era errado, obviamente! A primeira coisa que fiz foi entrar em contato com o programador do jogo, Guillaime Martin, um sujeito muito entusiasmado e educado. De acordo com ele, a solução seria simplesmente traduzir as strings como fizemos com as outras e trocar <univ> por <pt_br> (o código que escolhemos pra tradução). Tentei, tentei, mas não funcionou. Tentei de várias maneiras traduzir, mas nenhuma delas funcionou, então fui obrigado a entrar em contato direto com o programador novamente. O coitado daqui a pouco vai mudar de ideia em deixar as pessoas traduzirem o jogo dele!

Atualizarei quando receber a resposta do Martin.

Atualização: Após longa conversa, e vários testes, finalmente descobri como traduzir as <univ>!

Um pensamento sobre “A tradução está (quase) pronta!

  1. Pingback: Puzzle Quest e Prison Architect | Transcriação

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *